quarta-feira, 6 de abril de 2011

Conhecer a Deus e viver com Ele

Mas ele lhes disse: Meu Pai continua agindo até agora, e eu ajo também.    
Por esta razão os judeus, com maior ardor, procuravam tirar-lhe a vida, porque não somente violava o repouso do sábado, mas afirmava ainda que Deus era seu Pai e se fazia igual a Deus.    
Jesus tomou a palavra e disse-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: o Filho de si mesmo não pode fazer coisa alguma; ele só faz o que vê fazer o Pai; e tudo o que o Pai faz, o faz também semelhantemente o Filho.  Pois o Pai ama o Filho e mostra-lhe tudo o que faz; e maiores obras do que esta lhe mostrará, para que fiqueis admirados. Com efeito, como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá vida, assim também o Filho dá vida a quem ele quer. Assim também o Pai não julga ninguém, mas entregou todo o julgamento ao Filho. Desse modo, todos honrarão o Filho, bem como honram o Pai. Aquele que não honra o Filho, não honra o Pai, que o enviou.
Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não incorre na condenação, mas passou da morte para a vida. Em verdade, em verdade vos digo: vem a hora, e já está aí, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus; e os que a ouvirem viverão. Pois como o Pai tem a vida em si mesmo, assim também deu ao Filho o ter a vida em si mesmo, e lhe conferiu o poder de julgar, porque é o Filho do Homem.
Não vos maravilheis disso, porque vem a hora em que todos os que se acham nos sepulcros sairão deles ao som de sua voz: os que praticaram o bem irão para a ressurreição da vida, e aqueles que praticaram o mal ressuscitarão para serem condenados. De mim mesmo não posso fazer coisa alguma. Julgo como ouço; e o meu julgamento é justo, porque não busco a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.
(Jo 5, 17-30)

Meditação:
“Há uma forte corrente de pensamento laicista que pretende marginalizar Deus da vida das pessoas e da sociedade, perspectivando e tentando criar um «paraíso» sem Ele. Mas a experiência ensina que o mundo sem Deus se torna um «inferno». [...] Ao contrário, onde as pessoas e os povos acolhem a presença de Deus, o adoram na verdade e ouvem a sua voz, constrói-se concretamente a civilização do amor [...]. Existem cristãos que se deixam seduzir pelo modo de pensar laicista, ou são atraídos por correntes religiosas que os afastam da fé em Jesus Cristo. Outros, sem aderir a estes chamados, simplesmente deixaram esmorecer a sua fé [...]. Abre e cultive um diálogo pessoal com Jesus Cristo, na fé. Conhecei-o mediante a leitura dos Evangelhos e do Catecismo da Igreja Católica; entrai em diálogo com Ele na oração, dai-lhe a vossa confiança: ele nunca a trairá! [...] Assim podereis adquirir uma fé madura, sólida, que não estará unicamente fundada num sentimento religioso ou numa vaga recordação da catequese da vossa infância. Podereis conhecer Deus e viver autenticamente d’Ele.”
(Mensagem do Santo Padre Bento XVI para a XXVI Jornada Mundial da Juventude).

Reflexão apostólica:
“O amor sempre procura a maior união entre as pessoas. E nossa união filial com Deus, como diz São João, manifesta-se e cresce na medida em que cumprimos a sua vontade. Por isso, o amor de Deus nos leva a todo momento a conhecer e fazer a vontade divina, mesmo sendo difícil, mas sempre por amor: fazer o que Deus quer, e querer o que Ele permite para o nosso bem, fundindo a própria vontade com a de Deus.”
(Manual do membro do Movimento Regnum Christi, n. 141).

Diálogo com Cristo:
Senhor Jesus, permite que meu amor cresça para que fortaleça também em minha vida a mesma relação que Tu tens com nosso Deus Pai. Uma relação baseada no respeito e no amor. Com freqüência te perguntei onde poderia encontrar-te, como poderia buscar-te. Hoje sou grato porque me dou conta de que somente me pedes obediência e submissão à tua vontade para poder achar-te em todas as pessoas de minha família e de meu circulo social. Essa é tua vontade. Que te ame especialmente neste membro de minha família do qual mais me custa conviver ou com esse companheiro de trabalho ou de estudo que tanto me deixa impaciente. Dá-me um coração magnânimo para que eu saiba amar a todos assim como me ensinastes que devo amá-los.

“A vontade de Deus deve ser para nós a razão e o sentido de toda nossa vida, como foi para Cristo, que vindo a esse mundo, consagrou sua existência com as palavras: ‘Eis aqui Senhor, venho para fazer tua vontade’ ”
(Cristo no Centro, n.2312)

Fonte: Regnum Christi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário